Buscar
  • Renata Rocha

Entrevista: "Todo sofrimento merece cuidados"

Atualizado: 18 de out. de 2019

O psicólogo Luan Lins fala para nós um pouco sobre a importância dos cuidados com a saúde mental e nos ajuda a diferenciar a depressão da ansiedade.

#inclusão #setembroamarelo #depressão #ansiedade


Durante o mês de setembro é divulgada na mídia a campanha Setembro Amarelo de prevenção ao suicídio. Dois grandes transtornos que podem levar à esta situação é a depressão e à ansiedade. Dores emocionais se tornam muitas vezes incapacitantes, impedindo as pessoas de poder ter uma vida plena, saudável e produtiva.

Diante disto, fomos conversar com o psicólogo Luan Lins, com vasta experiencia com pacientes com estes transtornos para nos contar um pouco quais características estão presentes nestes quadros e qual a importância da psicoterapia e do tratamento na prevenção e no tratamento da doença.


Muitas pessoas se confundem quando o assunto é ansiedade e depressão. Qual a diferença entre essas duas doenças?

A ansiedade é uma reação natural de todo indivíduo, que se manifesta em situações cotidianas, tal como falar em público, uma entrevista de emprego, datas e eventos importantes, exames de saúde e etc. Porém, algumas pessoas desenvolvem reações mais profundas e frequentes de ansiedade e esta, pode começar a interferir na saúde mental e emocional do indivíduo, tornando-se um distúrbio ou transtorno de ansiedade.

A depressão pode ser entendida como uma tristeza recorrente e persistente e a perda do sentido e do prazer pelas coisas. Seus sintomas interferem drasticamente na percepção do indivíduo sobre si e sobre a realidade, o que atinge em cheio sua qualidade de vida, seu trabalho, relacionamentos, dentre outros aspectos.

Vale ressaltar, que ansiedade e depressão podem ser transtornos comórbidos, ou seja, podem estimular o surgimento de um ou de outro no mesmo indivíduo.


Como saber se eu tenho depressão ou ansiedade?

Com a ajuda do psicólogo ou do psiquiatra. É muito comum chegar aos nossos consultórios, clientes apresentando sintomas variados e com um “diagnóstico” dado por testes de internet ou pelo “doutor google” e até mesmo um ‘auto diagnóstico’ que podem caracterizar ansiedade, depressão ou os dois juntos. Muita calma nessa hora. Se você está percebendo alguma alteração na rotina, nos pensamentos, no sono, no humor e/ou no corpo, procure um profissional competente e ele irá conduzir uma avaliação adequada para diagnosticar seus sintomas.


Ansiedade e depressão podem ser transtornos comórbidos, ou seja, podem estimular o surgimento de um ou de outro no mesmo indivíduo.

Quais são os principais sintomas de alguém que têm ansiedade? Até onde é normal e quando a ajuda deve ser procurada?

Como falamos no início, ansiedade são reações naturais que todos experimentam durante o dia-a-dia. Porém, quando essas reações se tornam recorrentes e excessivas, e começam a afetar a saúde mental, emocional e social do indivíduo, nós podemos considerar uma ansiedade patológica, ou seja, se torna um distúrbio ou transtorno de ansiedade e pode se configurar de diversas formas.

De forma geral, podemos dividir a sintomatologia da ansiedade em duas categorias, sintomas mentais/psicológicos e físicos:

Sintomas Físicos: dor ou aperto no peito, aumento das batidas do coração, respiração ofegante e falta de ar, aumento do suor, tremores nas mãos, pálpebras ou outras partes do corpo, sensação de cansado e fraqueza, boca seca, mãos e pés frios ou suados, tensão muscular, vômitos ou diarreia.

Sintomas mentais/psicológicos: tensão e nervosismo, sensação de que algo ruim vai acontecer, problemas de concentração, medo constante, descontrole nos pensamentos, preocupação exagerada, insônia, irritabilidade e agitação motora (braços e pernas).

Pode-se considerar uma ansiedade normal, quando há um motivo real e aparente que cause desconforto ou insegurança, como por exemplo, falar em público, ir a uma seleção de emprego, conhecer os pais do namorado(a), uma data especial ou evento, uma viagem, etc.

A ajuda profissional deve ser procurada sempre que o indivíduo estiver em sofrimento e apresentar alterações mentais, emocionais e corporais.


Se você está percebendo alguma alteração na rotina, nos pensamentos, no sono, no humor e/ou no corpo, procure um profissional competente e ele irá conduzir uma avaliação adequada para diagnosticar seus sintomas.

Para começar a terapia com um psicólogo, preciso passar por um médico?

Não. O psicólogo é o profissional responsável por cuidar da saúde mental e emocional dos indivíduos. Sendo assim, sempre que necessário, o profissional pode ser procurado de forma espontânea.


É possível se curar da ansiedade por métodos alternativos, como a prática de algum esporte?

Não. Os elementos ansiogênicos podem ser diversos e estarem claros e conscientes, ou não. Sendo assim, é de extrema importância, a psicoterapia como ferramenta de desconstrução da ansiedade e se necessário, suporte medicamentoso, com ajuda do psiquiatra. As práticas alternativas, ou melhor, integrativas, podem ser associadas a psicoterapia e a terapia medicamentosa, sem nenhum problema, assim como a prática esportiva.


Como ajudar alguém depressivo?

A palavra é acolhimento. Uma pessoa com sintomas de depressão precisa do suporte familiar e social para o auxiliar no enfrentamento deste processo de sofrimento intenso. Esta acolhida pode se manifestar em forma de compreensão, auxílio, orientação, presença e cuidados.


A ajuda profissional deve ser procurada sempre que o indivíduo estiver em sofrimento e apresentar alterações mentais, emocionais e corporais.

Há uma faixa etária mais vulnerável a ter depressão ou ansiedade?

A depressão pode se manifestar da criança ao idoso, porém, seu início é mais evidente na vida adulta, onde as mudanças físicas, mentais, sociais, financeiras e afetivas são constantes, além da aquisição de novas responsabilidades e a necessidade de adaptação.


Como dar o primeiro passo e procurar ajuda?

Acredito que a busca pela ajuda passa pelo processo de reconhecimento e aceitação do indivíduo sobre seus sintomas e sofrimentos. Ainda paira sobre a saúde mental um grande preconceito, o que dificulta ou muitas vezes agrava o sofrimento dos indivíduos, devido a não procura pela ajuda profissional adequada. Não é raro ouvirmos frases como “depressão é frescura”, “falta de deus”, “mente vazia oficina do diabo”, dentre outras coisas. Puro preconceito e que nós precisamos desconstruir. Todo sofrimento merece cuidados e no que tange as emoções, pensamentos e comportamento, o psicólogo é o profissional adequado.










Luan Lins é psicólogo atuante desde 2015, e trabalha diretamente com pacientes com transtornos de ansiedade e depressão através da metodologia centrada no indivíduo. Possui especialização nesta área e atende em Camaragibe/PE e Recife/PE.



21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo